quarta-feira, 19 de junho de 2013

Honestidade e um sincero pedido de desculpas.

Dilma, 

    Esse Protesto é muito grande. 
    Esse Protesto é tão grande que começou reclamando de 20 centavos e entendeu que o roubo é maior do que 20 bilhões. 
    Esse Protesto é tão grande que tem como objetivo abaixar não só a tarifa do transporte público, como também a bola de todos os político e ladrões do Brasil. Aliás, esse protesto é tão grande que tem gente, como você, que nem sabe exatamente o que incomoda.
    É como um bebê: chora e ninguém sabe o porque, mas todos vêem que alguma coisa está doendo, alguma coisa está errada, fora do lugar. E o choro incomoda. E muito. É fome, é frio, é gente doente... gente que mal sabe falar. Escrever então, um luxo. 
    Com tudo isso, é mesmo difícil fazer parar o choro com uma chupeta, mamadeira, ou um colo quente. É preciso amor, amor de mãe.
    É preciso que você entenda que agente quer atenção, cuidado, respeito (é, respeito), consideração, honestidade e um sincero pedido de Desculpas. 
    Não tem cabimento a Presidente de um país ser tão ignorante ao ponto de acreditar que a população não sabe o que está errado. A gente sempre soube. Agente sabe. Nunca fizemos nada por motivos que já nem importam mais, aliás, já nem me lembro. O que importa é que hoje estamos reclamando. Não só abrimos os olhos como nos levantamos, andamos e brigamos. E brigamos muito. Por muitas coisas. 
    Muito impressiona ver a determinação de um povo que mesmo “sem liderança” se organiza e, finalmente, com um uso digno para essa frase, como Brasileiros, não desistem nunca. 
    Impressiona ver minha irmã, 21 anos, andando pela noite gritando por mudança; me impressiona ver Sãopaulinos, Palmeirenses e muitos outros gritando o mesmo hino; Impressiona ver a mídia perdida e encurralada, alguns até arrependidos. Impressiona ver policiais sentando em respeito ao movimento, policial chorando, desabafando sobre a dificuldade que é ser policial, contando como ele queria poder gritar com os manifestantes, junto, não para amedrontar, mas para ajudar. E impressiona que até agora você só abriu a boca para falar bobagem. 
    Impressiona que você não entendeu que acabou! Chega! Sem mais roubalheira, sem mais sacanagem.
    Que os políticos deixem os segredos para os amores proibidos. (E que esses também sejam liberados, pois amor jamais deve ser negado.)
    Que deixem as mutretas e arranjos para os programas de domingo com suas idiotas ‘pegadinhas’. (E que esses também acabem, e que a mídia entenda que programação de qualidade vai além de bundas e risadas, sem passar pelo quadro de lavagem cerebral. )
    
    Sempre imagino o quão triste deve ser para o filho de um ladrão. O que a família do Alckmin, do Haddad, da Dilma pensa deles. Tenho certeza de que não são burros analfabetos, e assim tenho certeza que sabem muito bem no que seus familiares estão envolvidos.
    Senhor Haddad, Senhor Alckmin, Senhora Dilma, Ladrões do nosso Brasil: Vocês não têm vergonha? Espelho no seu banheiro?  Não escovam os dentes? E quando os escovam, na frente da pia, e acidentalmente seu olhar cruza com ele mesmo, não te gela a alma? Nem por um segundo? 
    Não sonhou você também com um país bonito... como só o Brasil o é, só que melhor? não sonhou você também em fazer a diferença para o bem? Quando você tinha 12 anos e teu tio te perguntou naquele natal a boa velha: O que você vai fazer quando crescer? Duvido que sua resposta foi “vou foder o Brasil’.

    O que aconteceu? O que aconteceu?

    O que aconteceu...?

    Aconteceu que acabou Dilma. 

    Então para. Chame a televisão. Chame os jornais e diga uma coisa: A verdade.

    Diga que você sabe da corrupção. Diga que você sabe como o aparelho estatal é manipulado e como ele manipula. Abra o seu coração e peça perdão. Confesse que você sabe o que está errado. Quem está errado, e como está errado. Confesse que você errou. 

    O Brasil está em um momento único e você já entrou para para os livros de historia, agora você pode escolher como vão escrever sobre você.

    1- A vilã, que não enxergou as necessidades do seu povo pois o brilho dos diamantes em seus dedos ofuscava sua visão. A vilã que não ouviu os gritos nas ruas pois seus ouvidos estavam a tempos ocupados com sussurros e segredos. A vilã que negou ajuda enquanto se empanturrava com especiarias e vinhos cujos nomes meros mortais nem conhecem. A vilã. E para sempre seus filhos, netos... bisnetos, para sempre serão filhos, netos e bisnetos de um vilã, que fodeu o Brazil. 

    Mas tem outra opção:

    2-  A Heroína. A primeira mulher presidente do Brasil. A mulher que colocou o Brasil no lugar que merece. A mulher que lutou com o povo para o povo, desmascarando o esquema burocrático que estrangula, os impostos que afogam e a corrupção que mata. A heroína que fez sonhar ser novamente gostoso, e não frustrante. A heroína que que fez alcançar sonhos uma realidade. Uma heroína redimida, que passou pela sua jornada, que encontrou desafios, e arrogantemente os ignorou apenas para se deparar com a inevitável verdade e voltar, cumprindo o seu arco, lutando contra o errado, o malicioso e abusivo, saindo da luta machucada, carregada, mas carregada pelo povo, amada. E para sempre seu filhos, netos e bisnetos, serão filhos, netos e bisnetos de uma heroína

    O futuro, hoje é fato: O Brasil VAI mudar. Mas o seu futuro, Dilma, hoje, mais do que nunca, cabe a você definir. 


    Tudo que eu lhe peço é honestidade um sincero pedido desculpas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário